04 Julho, 2008

4 de Julho de 2008

Hoje faz 232 anos o documento político mais importante da história da humanidade. Pela primeira vez a teoria dos direitos individuais, desenvolvida anteriormente por John Locke, passou a ser o fundamento de uma nação. Os resultados estão por todos os lados, e não apenas nos Estados Unidos da América.

Por quatro mil anos a humanidade viveu - e morreu - no que pelos padrões de hoje é a absoluta miséria. Em duzentos anos reduzimos a mortalidade infantil a menos de um décimo, afastamos definitivamente a fome por falta de comida (embora não a por falta de liberdade), quase triplicamos nossa expectativa de vida, aprendemos a voar.

Vale a pena aproveitar a data para ler (ou reler) as palavras de Thomas Jefferson, e refletir sobre o quanto a vida que temos hoje - com comida abundante, luz elétrica, medicina, automóveis, água limpa, telefone, rádio, televisão e tantas outras coisas que nem tomamos nota - é fruto da libertação de milhões de mentes produtivas do cativeiro feudal em que ficaram por milênios de nossa história.

The Declaration of Independence

Está nos dois primeiros parágrafos o motivo pelo qual os Estados Unidos da América se tornaram a nação mais fabulosamente rica que já existiu. Direitos Individuais. O fato de que não temos aqui expressão política desta idéia explica porque o Brasil sempre dá errado - tendo tudo para dar certo.

Também escrevem hoje sobre o 4 de Julho: Rodrigo Constantino e Ricardo Bergamini.